Arquivo do blog

Encontros Literários no Novo Nicho pra Santa

Encontros Literários no Novo Nicho pra Santa, na Casa Lygia Bojunga, Santa Teresa, Rio de Janeiro.
Visite:

terça-feira, 6 de julho de 2010

Algumas palavras, alguns livros

Os da minha Rua

Ondjaki
Rio de Janeiro: Editora Língua Geral, 2007

Para onde vai a infância de cada um de nós? Para os álbuns de fotos? Para os guardados das gavetas? A infância é um tempo que não nos perde, principalmente se a buscamos: seja na literatura, seja nas páginas que passamos da nossa história. Nos dias que se foram e ficaram dentro de nós.


Os da minha Rua, do escritor angolano Ondjaki, nos coloca em contato com um tempo único: das descobertas de um menino na Angola de três décadas atrás. Seus camaradas de rua, de escola, seus familiares... Ao mesmo tempo, nos coloca em contato com a particularidade da nossa infância: dos nossos medos e dúvidas. Vale a pena contar para alguém daquela paixão? Como pode ser inesquecível a ida à casa de um tio! As roupas que aproveitamos, os quedes velhos, as frutas verdes com sal, os programas na televisão, um refrigerante no domingo... Coisas e instantes que voltam, carregados de afetos.


Na escrita de Ondjaki, reencontramos nossa língua, com sabor de Angola, com ares de infância. São contos curtos como o tempo que passa e nos deixa com vontade de ler mais. Surgem segredos, coisas sonhadas e caladas. Logo, inaugura-se uma cumplicidade entre autor e leitor, a escrita de um novo texto que nasce com a experiência de quem lê.


A partir de pequenas situações, de passageiras coisas, o autor ultrapassa o oceano e atinge a escrita subjetiva, com toques líricos, com linguagem suave, numa língua universal, capaz de tocar o gosto das crianças, dos adolescentes e dos adultos. Os da minha, da tua, da sua, da nossa rua chega para encantar e cantar na língua tão nossa, tão familiar!

                                                                                                                           Ninfa Parreiras


MPB: a Alma do Brasil
Ricardo Cravo Albin (org.)
Rio de Janeiro: Instituto Cravo Albin, 2009

Livro de arte em papel couchè, capa dura, fotos e desenhos em cores; traz ainda 02 CDs com músicas, intérpretes e compositores. Com a epígrafe de abertura “... Porque o tempo, o tempo não pára...”, de Cazuza, abrimos uma obra bilíngue (português e inglês) que canta a nossa música popular que não pára, segue, balança, canta, encanta. Da música mulata, à modinha, à consolidação do samba, ao baião, à bossa nova, reencontramos as raízes, a constituição da MPB. De que é feita essa música brasileira? Quais os passos, os rumos dessa produção?


Contribuições dos especialistas João Máximo, Arthur Xéxeo, Antônio Carlos Miguel e Luis Antônio Giron se somam à habilidade e à experiência do organizador Ricardo Cravo Albin (musicólogo e historiador), para um resultado que contempla diferentes vértices do que representa a MPB brasileira: do norte ao sul, do nordeste ao sudeste, dos tantos cantos do país... Seus últimos quarenta anos, década por década, são examinados pelo olhar de quem entende, de quem escuta. A precisão das datas somada às fotografias dos compositores e intérpretes comprovam a força e a vitalidade da MPB.


Algumas capas de discos e de CDs são reproduzidas e completam as informações trazidas sobre as letras de música, as gravações, os compositores, os intérpretes. Obra-prima da MPB e da literatura para o manuseio e a consulta de todos: crianças, jovens e adultos.

                                                                                                                    Ninfa Parreiras


-Com que roupa? e Festa no céu
Noel Rosa
Ilustrações Graça Lima e Ivan Zigg


-Samba do Arnesto e Saudosa Maloca
Adoniram Barbosa
Ilustrações Marcatti


Porto Alegre: Dulcinéia, 2010

O samba é a poesia que vem do canto, da batida popular. Do morro, do asfalto, da periferia, do centro, do carnaval... Muitas vezes, as canções do samba não chegam às crianças, nem são valorizadas pelos adultos como uma produção literária. Por que será?


Cada um dos dois volumes da editora gaúcha Dulcinéia traz aqui duas canções de artistas imortais do samba. Com que roupa? e Festa no céu, de Noel Rosa, um dos maiores sambistas brasileiros são editadas com ilustrações que as acompanham e com um projeto gráfico interessante. Lembra a forma de um disco de vinil. Palavras e imagens se unem num lirismo que enaltece os versos e o ritmo gostoso de Noel.


Já Samba do Arnesto e Saudosa maloca, de Adoniram Barbosa, estão quadrinizados, trazem igualmente um projeto gráfico singular. Em ambos os volumes, temos o Guia de Leitura e Audição de autoria de Luís Augusto Fischer e Julia da Rosa Simões.


No contato com criações dessa natureza, que valorizam o samba, a ilustração, o projeto gráfico, a criança se aproximará daquilo que é muito brasileiro, popular e tão nosso: o samba. Uma canção tão presente no imaginário popular agora impressa em um livro, nas mãos do leitor. O trabalho com a poesia traz a possibilidade de se explorar sonoridades, melodias e imagens. E o contato com o samba, então, está na nossa alma, na brasilidade de cada um. No corpo nosso de cada dia!

                                                                                                                    Ninfa Parreiras

(Resenhas também disponíveis no site do Centro Educacional Anísio Teixeira - CEAT: http://www.ceat.org.br/ em Aquisições da Biblioteca: http://www.ceat.org.br/janelas_index/aquisbibli2010.htm )