Arquivo do blog

Encontros Literários no Novo Nicho pra Santa

Encontros Literários no Novo Nicho pra Santa, na Casa Lygia Bojunga, Santa Teresa, Rio de Janeiro.
Visite:

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

A Vida é um Mosaico

                                      Ninfa Parreiras

Conheci o projeto da APAC - Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, de Itaúna, MG, por meio destes artesanatos em mosaicos. Uma entidade dedicada à recuperação e reintegração social dos presos a penalidades privativas de liberdade. Ela tem desenvolvido diversos projetos na minha cidade. A delicadeza e a simplicidade são as marcas destas artes, verdadeiras recriações. Há pessoas voluntárias que atuam diretamente com os artistas-aprendizes.
A vida é um mosaico, feita das muitas partes que nos constituem: as memórias, o passado, o presente, os sonhos, as frustrações. Todo dia estamos juntando os caquinhos e re-começando novos processos. Ou retomando o mesmo de sempre, com os pedaços que escolhemos. A colocação de tesselas, num jogo de encaixe, é um exercício de paciência, de reinvenção de si.
A antiga arte do mosaico remonta à Mesopotâmia, ao Egito e, posteriormente, à Grécia e a Roma. Curiosamente, a palavra Mosaico quer dizer, em grego, obra das Musas. Algo que transcende o âmbito racional. Conecta-se com o divino, o mais além, o inconsciente.
Em Ravena, última capital do Império Romano no Ocidente, após a queda de Roma no século V, encontramos os mosaicos bizantinos, tombados pela UNESCO. Encantam aos visitantes pela riqueza de detalhes. São dezenas de museus, batistérios, capelas e igrejas, ornados com painéis, tetos, altares e pisos. Foi nesta cidade italiana que a Idade Média começou.

Um passeio em Conímbriga, Portugal, nos revela mosaicos de museus ao ar livre, de ruínas romanas do século II d.C. Passeios a céu aberto fazem os olhos dos turistas riscarem o espaço de tanto olhar para cima e para baixo.
Mais perto de nós, no Matutu, em Aiuruoca, MG, Candido de Alencar Machado, mantém um ateliê integrado a uma deliciosa pousada campestre. Seu trabalho é digno de reconhecimento e aplausos: minúsculos pedacinhos de azulejos moldam rostos, cenas religiosas, cenários místicos e diversos. O artista mineiro faz sua arte pacientemente, rodeado de montanhas da Serra do Papagaio.
Foi uma surpresa saber que, em Itaúna, a APAC é exemplo para associações de condenados e que a arte e o artesanato existem ali para transformar afetos e dar dignidade aos presos. Um modelo a ser conhecido e copiado por penitenciárias e cidades.
(fotos: arquivo pessoal, APAC-Itaúna, verão 2017)
Conheça mais:
Sobre a APAC: http://www.apacitauna.com.br/
Sobre Ravena: http://www.viajarpelomundo.com/2012/10/os-mosaicos-bizantinos-de-ravena.html
Sobre Conímbriga: http://www.conimbriga.pt/index.html
Sobre Candido de Alencar Machado: http://www.pousadamatutu.com.br/mosaicos.htm